Agendas, sumiço e blá blá blá…

Oi, eu estou viva, grávida e enjoando muito! No começo do ano prometi a mim mesma que postaria com mais frequência esse ano, até o mês de julho isso estava acontecendo como planejado, mas lá pelo dia 20 de agosto, eu comecei a enjoar, e fiz exame de sangue só para comprovar o que eu já sabia rs, e na minha primeira gravidez enjoei também, e com esses enjoos minha vontade é de ficar quietinha em um canto, ou dormir, trabalho porque preciso, mas até nisso eu desanimei. Eu estou lendo como sempre, só que em um ritmo mais lento, e as resenhas eu faço rascunho em casa, só que ai bate o desanimo de passar para o computador e depois de postar. Não ter internet em casa tira o meu animo anida mais, pois no final de semana que eu fico o dia todo em casa dá até vontade de postar algo, mas não tem internet. 😦

O projeto 365 Days, eu tiro as fotos, mas é o mesmo caso, o desanimo de possar para o computador, de ditar e de postar é grande. Não pense que isso é depressão ou que eu não estou feliz com a gravidez, pelo contrário estou muito feliz, só que uma coisa é a gente passar mau uma semana e sarar e outra bem diferente é estar enjoando todos os dias durante o mês todo, e sem previsão de passar os enjoos.

Espero ir atualizando aos poucos, melhor atrasar do que nunca postar.

E hoje vou postar as fotos das minhas tão amadas agendas, sempre gostei de agendas fui influenciada pela minha mãe, e todo ano desde 2003 eu tenho uma. Tem anos que eu não ficava um dia sem escrever alguma coisa, teve anos que não escrevia muito coisa. Mas cada uma é importante para mim, traz lembranças boas do que eu vivi naquele ano. Nas fotos vai faltar a de 2006, eu não sei se esqueci de tirar a foto, ou se eu apaguei sem querer, tirei as fotos na época da mudança, e coloquei em uma caixa fechada, então vai ficar sem foto 😦

2003

A primeira, e quase não tem nada de interessante, mais coisas de escola, e recadinho dos meus colegas… Me deixa um pouco triste esses recadinhos, pois hoje não tenho mais contato ou amizade com alguns colegas e amigos na época. Dá vontade de ir atras de alguns e falar “poxa eramos tão amigos, o que aconteceu? Dá para ser amigos ainda, sabe?” Mas é assim que acontece, o tempo passar e alguns coisas e pessoas vão ficando para traz 😦

2004

No começo dessa agenda eu escrevia em forma de diário, mas como eu levava muito para a escola eu ficava com medo de alguém ler, dai comecei a escrever coisas aleatórias e da escola, 2004 foi um ano muito bom e especial para mim!

2005

Eu colava tanta coisa nessa agenda que ela engordou durante o ano rsrsrs!

2006

Não tem foto, mas eu tenho um carinho pela agenda de 2006 tão grande… foi um ano tão, mais tão bom… Ahhh bateu saudade!

2007

Essa agenda é especial por dois motivos, primeiro por que foi a primeira que eu comprei com meu dinheiro. E segundo por que foi o ano que eu engravidei, eu enjoava muito quase não escrevia, era mais coisas sobre a gravidez.

2008

Ano de formatura no colégio, meu filho que nasceu… muitos e muitos detalhes de um ano que foi cheio de coisas novas para mim.

2009

Essa agenda eu ainda uso, para rascunho e anotar coisas aleatórias. Eu nem sei por que eu não usei essa agenda em 2009. Não tem foto porque esqueci mesmo 😦

2010

Eu comprei a agenda da Capricho por impulso, pois já estava usando esse caderninho como agenda, e a da Capricho ficou de lado.

2011

Essa eu usei mais para anotar sobre filmes e livros que eu tinha que assisti e ler.

♥♥♥

Bem é isso… Só pra dizer que estou viva e bem, e que não vou atualizar com muita frequência, vou tentar atualizar o 365 Days!

Beijos

Anúncios

Livro que li: A mediadora, Crepúsculo – Meg Cabot

Sobre o livro: Suzannah já está acostumada com fantasmas. Ela é uma mediadora e pode não somente ver os mortos, como também interagir com eles. Eles a acordam no meio da noite reviram seu armário e aprontam coisas ainda mais sinistras. Além dos desafios comuns a qualquer menina de 16 anos, sua função é entender as mágoas dos que morreram e ajuda-los a resolver os problemas com os vivos. Mas a última coisa que ela esperava era se apaixonar por um fantasma: Jesse, um gato do século XIX.

Mas quando ela e Paul Slater – mediador de força inegável e intenções dúbias – descobrem que seus poderes vão muito além de ajudar fantasmas a resolver seus problemas terrenos, Suze pira de vez. É muito aterrorizante ter o destino de alguém nas mãos e saber que pode alterar o curso da história, principalmente porque Paul também sabe como fazer isso. E ele adoraria evitar o assassinato de Jesse, impedindo-o de virar fantasma e lhe garantindo uma vida tranquila, finalmente… mas no século XIX. Ou seja, Jesse e Suzannah nunca teriam se conhecido.

Suza então está diante da decisão mais importante de sua vida: deixar o único cara que já amou voltar para seu próprio tempo… Ou mantê-lo enclausurado eternamente na semivida ao seu lado. O que Jesse escolheria: viver sem Suzannah ou morrer por amor?

Último volume da série A Mediadora, Crepúsculo mescla romance, mistério e aventura em uma trama de tirar o folêgo.

Editora: Galera Record

Nº de Páginas: 271

Eu amei, amei e amei, essa série, como pude demorar tanto para ler? Isso é para eu deixar de ser enrolada. Bem agora vamos falar do último livro da série, e esse fato, me deixa com aquela tristezinha, mas eu estou tão empolgada com alguns livros que isso não vai me atrapalhar. E li tão rápido esse livro que nem vi, comecei segunda de manha e terminei na terça a tarde, (isso para mim é rapido, por que eu tenho filho, casa, trabalho, muitas coisas para fazer, e já foi o tempo que lia um livro em um dia). O jeitinho da Meg Cabot é muito gostoso de ler, é leve, é divertido, e a gente nem vê as páginas passarem.

E nesse livro, por ser o último, e ter todos os acontecimentos finais, reveladores, e decisivos (ah meu Deus, teve momentos que sentia vontade de gritar!) eu não conseguia largar, eu tinha que saber o final, e quando cheguei no final me emocionei, não tinha como não me emocionar, me apeguei a Suzannah (ao Jesse também, obvio!), eu tenho essa mania de me apegar a personagens. E se eu falar mais vou acabar contando mais do que deveria, por que o livro inteiro é bom e tem acontecimentos marcantes!

Beijos!