Filme que assisti: As Cônicas de Nárnia…

 

Sinopse: Em o Leão, a Feiticeira e o Guarda Roupa, junte-se aos quatro irmãos durante a passagem mágica pelo guarda roupa descobrem para encontrar o mundo de Nárnia. Eles descobrem um charmoso e pacífico reino condenado a u inverno eterno pela maligna feiticeira branca. Com a ajuda do poderoso leão Aslan e as crianças, Nárnia entra em uma batalha para se libertar para sempre desse poder glacial.

A magia continua no segundo filme de As Crônicas de Nárnia – Príncipe Caspian. As crianças, desta vez, juntam-se ao magnífico Aslan e a um novo herói, o Príncipe Caspian, em uma jornada marcante dos narnianos para restaurara paz e a glória na sua terra encantada.

♥♥♥

O Leão, A Feiticeira e o Guarda Roupa:

Tão lindo e tão emocionante. Eu comecei a ler o livro, eu até comentei no post do projeto 365 dias, e como disse estou intercalando uma crônica com outro livro. E para variar, assisti o filme antes de ler a crônica, e isso fez com que eu ficasse com ainda mais vontade de ler a crônica. E por não ter lido a crônica não posso dizer se é fiel ou não.

Mas pelo comecinho da crônica que eu li, parece ser bem fiel.

No filme os quatro irmãos vão morar em uma casa distante da cidade , pois o mudo estar em guerra, e onde mora um senhor misterioso. Quando eles decidem brincar de pique esconde, Lúcia, entra em um guarda roupa e descobre um novo mundo, e faz um novo amigo, ao sair seus irmãos não acreditam, mas depois de aprontarem, os quatro entram no guarda roupa e começa uma aventura linda.

A personagem que eu mais gosto é Lúcia, Suzanna e Edmundo eu não gosto muito, e Pedro, bem ainda não tenho muito que falar. Emociono-me muito com Aslan.

Nunca tinha assistido inteiro (eu sou mestre em fazer isso assisti pelas metades) e me apaixonei, por isso que é bom a gente assiti tudo antes de dá uma opnião.

O Prícipe Caspian:

Ainda mais emocionante, e também surpreendente. Começa um ano depois de onde o primeiro filme terminou, isso no “mundo real” em Nárnia se passaram algumas centenas de anos. Lúcia, Suzanna, Edmundo e Pedro, um pouco mais velhos, voltam a Nárnia após um chamado. Os narnianos novamente precisam da ajuda de seus reis. E está tudo diferente quando eles retornam.

Também so tinha assistido alguns pedaços desse filme, mas não tinha visto nenhum pedaço do final, e isso foi muito bom, pois eu me surpreendi! Esse filme, é muito, muito bom mesmo, ambos os filmes ganham cinco estrelinhas, mas esse ganharia mais se pudesse.

Agora estou ainda mais ansiosa pelo livro, e pelo terceiro filme que assistirei o mais rápido possível!

Beijos!

 

Anúncios

Filme que assisti: O Menino do Pijama Listrado

Sinopse: Alemanha, Segunda Guerra Mundial. O menino Bruno (Asa Butterfield), de 8 anos, é filho de um oficial nazista (David Tewlis) que assume um cargo importante em um campo de concentração. Sem saber realmente o que seu pai faz, ele deixa Berlim e se muda com ele e a mãe (Vera Farmiga) para uma área isolada, onde não há muito o que fazer para uma criança com a idade dele. Os problemas começam quando ele decide explorar o local e acaba conhecendo Shmuel (Jack Scanlon), um garoto de idade parecida, que vive usando um pijama listrado e está sempre do outro lado de uma cerca eletrificada. A amizade cresce entre os dois e Bruno passa, cada vez mais, a visitá-lo, tornando essa relação mais perigosa do que eles imaginam.

Tempo de Duração: 94 min

Tenho que começar falando da diferença entre as emoções que sentimos quando lemos alguma coisa e de quando vemos algo, assisti esse filme fez com que eu notasse essa diferença, li o livro que deu origem a esse filme há quase dois anos, e não gostei tanto do livro, tem resenha AQUI, e assisti esse filme no sábado, e me emocionei muito, ainda acho que a segunda guerra mundial é um assunto que se torna limitado visto por uma criança, mas tem de ser limitado, é um assunto muito pesado para crianças tanto naquela época, quanto nos dias atuais.

Bruno um menino de 8 anos, que tem uma vida boa e alguns amigos em Berlim, chega em casa da escola e recebe a noticia que seu pai foi promovido, e por esse motivo eles terão que se mudar. E quando ele chega a sua nova casa ver que não terá muito a se fazer, pois está sozinho e sem nenhuma outra criança para brincar, e então resolve explorar, e é da janela de seu quarto que ele ver a “fazenda”, e é explorando que ele vai chegar na “fazenda”, e vai conhecer Shmuel, um menino da sua idade, e a amizade entre os dois vai crescendo, e aos poucos Bruno vai descobrindo que a amizade dele com Shmuel, que mora do outro lado da cerca e usa pijamas listrados, não poderia existi, porque Shmuel é judeu e Bruno filho de um comandante nazista, e Bruno não tem nenhuma noção do que seu pai faz.

O interessante desse filme (e livro) é que a gente imagina como era a vida da família dos saldados nazistas, na escola o foco maior é o que eles faziam, mas raríssimas vezes se aprofundavam no que os nazistas pensavam ou sentiam, nem todos os alemães eram nazistas, e os que se expressavam contra o regime com certeza pararam no campo de concentração, mas e os parentes dos saldados que não apoiava o regime, será o que eles fizeram?

Ok! Chega de aula de história (rsrs), o filme é lindo só que de um jeito triste, entendem? Indico e muito para quem (como eu) é apaixonado por história, e principalmente por estudar a segunda guerra mundial, e para quem quer um filme para se emocionar. Ganha quatro estrelas porque realmente é muito bom, perfeito seria se não envolvesse toda a tristeza que é a história.

P.s. Assinei Netflix, (e sempre que tiver essa fotinha do notebook com o nome do filme é que eu assisti lá rs) e estou gostando, foi a solução para mim, porque né, a cidade onde eu moro não tem locadora de filmes, gentem!!! Vocês tem noção do desespero em que eu estava né? Vários filmes na lista “Para Assistir” e não tendo locadora essa lista só cresceu nos últimos meses, e quase sempre perco a hora do filme que vai passar na tv por assinatura e que por sinal eu marquei na agenda (é que eu me esqueço de olhar a agenda srsrsrsrs) é muito esquecimento pra uma pessoa só!

Beijos!

Filme que vi: O Diário de Bridget Jones

Sinopse: Quem nunca passou por isso? Ver o reveiloon se aproximar e fazer uma lista de “resoluções de ano novo”, geralmente abandonada antes do inicio de fevereiro. A situação é contada com muito bom humor no livro de Helen Fielding O Diário de Bridget Jones, transformado em filme pelas mãos da diretora Sharon Maguiri. O Diário de Bridget Jones mergulha no universo feminino contemporâneo com muito bom humor. É uma comédia de gargalhadas, mas também de sorrisos irônicos. O que nem poderia ser diferente, já que o texto é eminentemente britânico.

Meu queridinho! Ahhh eu amo esse filme! Ele é bem fiel ao livro, (que por sinal eu tenho, e espero resenhar em breve), e me identifico demais com a Bridget. Ok, nem tanto assim, eu ainda não tenho trinta anos e também não sou solteira, mas a personalidade, o jeito dela, de falar as coisas na hora errada, de não pensar antes de falar, o dilema com o peso. Sério acho que toda mulher tem um pouquinho de Bridget.

Impossível não ri nesse filme, e também de chorar com ela. E é aquele tipo de filme que me faz refletir sabe, e eu gosto muito disso. Ahh e não posso esquecer… tem Hugh Grant *-* (amoooooooo). É bom para assisti com as amigas, ou naqueles dias #ForeverAlone.

Bridget Jones: É de conhecimento universal que quando uma parte de sua vida começa a ir bem, outra cai espetaculosamente em pedaços.

Beijos

P.s. Preciso resenhar mais filmes, para treinar…

Filme que vi: Edward mãos de tesoura

Sinopse: Era uma vez um castelo no alto de uma colina, onde viveu um inventor, cuja maior criação chamava-s Edward. Apesar de Edward possuir um charme irresistível, ele não era exatamente perfeito. a morte  repentina do seu inventor deixou-o inacabado, com tesouras no lugar da mãos. Edward vivia sozinho nas sombras, até que um dia uma gentil vendedora da Avon o levou para viver em sua casa com sua família. e assim começaram as fantásticas aventuras de Edward em um paraíso em tons pastel, conhecido como Surbubia.

Duração: 104 min

Peg Boggs (Dianne Wiest) uma vendedora de cosméticos fracassada, e que vai tentar vender em castelo onde ninguém tem coragem de ir. E é nesse castelo que ela conhece Edward, ele não é um ser humano, ele foi projetado e seu criador faleceu antes de colocar as mãos nele e no lugar ele tem tesouras, a Peg fica com dó dele (e também quer usá-lo pra testar os cosméticos rsrsrs) e o leva para casa dela, e é assim que começa uma história que marcou muito a minha infância.

Quando era mais nova e esse filme passava na sessão tarde na Globo eu amava e odiava ao mesmo tempo, amava  porque tem romance, ele se apaixona pela filha da Peg a Kim (Winona Ryder), o amor dele por ela é lindo, ele a adora de uma maneira linda. Mas odiava porque eu achava que tinha terror demais para um filme que tinha um amor tão lindo. Quando passava as cenas no castelo, com aquelas máquinas eu morria de medo. E o final não é clichê, eles não terminam juntos, mas vivem felizes com as memórias do que viveram.Outra coisa que acho lindo é as cenas que mostra Edward e seu criador, ele ensinou tudo para o Edward. Que por sinal é muito educado e inteligente.

Só sei que amo esse filme e quando vi que estava disponível no Submarino eu não pensei duas vezes e comprei, tinha anos que não assistia e foi realmente muito bom assisti de novo,e assistirei mais e mais vezes!

Beijos.

Filme que assisti: Cisne Negro

Duração: 103Min

Ano: 2011

Beth MacIntyre (Winona Ryder), a primeira bailarina de uma companhia, está prestes a se aposentar. O posto fica com Nina (Natalie Portman), mas ela possui sérios problemas pessoais, especialmente com sua mãe (Barbara Hershey). Pressionada por Thomas Leroy (Vincent Cassel), um exigente diretor artístico, ela passa a enxergar uma concorrência desleal vindo de suas colegas, em especial Lilly (Mila Kunis). Em meio a tudo isso, busca a perfeição nos ensaios para o maior desafio de sua carreira: interpretar a Rainha Cisne em uma adaptação de “O Lago dos Cisnes”.

***

Contém SPOILER!!!

Dei duas estrelinhas porque Natalie Portman mereceu o oscar de melhor atriz, pois a atuação dela é maravilhosa mesmo quem assisti percebe que ela encarnou a personagem Nina, mas o filme é confuso, angustiante,pertubador e pesado. Muita insegurança e loucura da personagem Nina. As cenas de sexo são pesadas demais e acaba apelando muito. Não é o tipo de filme que eu gosto, e por não ser o meu tipo acabou influenciando muito a qualificação que dei. Uma coisa tenho que admiti, o a apresentação final é linda, porém o que aconteceu entre uma entrada e outra me deixou muito confusa, e o final é tipo “ela morreu?” 

Para mim o que salva é a atuação da Natalie Portman e a dança final. De resto não gostei.

Beijos.

Livro que li e Filme que assisti: Prova de Fogo, nunca deixe o seu amor para trás.

Livro Prova de Fogo

Editora: BV films

Nº de Páginas: 364

Filme Prova de Fogo

Duração: 118 Min

Ano: 2008

Desde criança, sua esposa Catherine sempre sonho em se casar com um amoroso e valente bombeiro… assim como seu pai. Agora, após sete anos de casamento, ela se pergunta quando deixou de ser “boa o suficiente para Caleb”. Inúmeras discursões e brigas os fizeram querer trocar o casamento por algo mais ardente.

Á medida que eles se preparam para o divórcio, o pai de caleb o desafia a se comprometer com um experimento de quarenta dias : O Desafio de Amar. Perguntando-se se o esforço é mesmo válido. Caleb aceita o desafio , mais pelo seu pai do que por seu próprio casamento.

Surpreso pelo que ele descobriu sobre o significado do amor. Caleb percebe que sua esposa e casamento são dignos de luta. Seu trabalho é resgatar outras pessoas. Agora o capitão Holt está pronto para enfrentar seu trabalho mais difícil de todos os tempos: resgatar o coração de sua esposa.

Repleto de ação, humor e romance, esta envolvente história de Eric Wilson vai fazer você rir , se inspirar e, também o desafiará. Baseado no filme de Alex e Stephen Kendrick, Prova de fogo inclui mais detalhes, personagens e histórias não inclusas no filme.

***

Comprei esse livro, pois me emocionei muito com o filme. E também me emocionei com o livro. Essa história é aquela que a gente tem que ter fé em Deus, acreditar que se queremos mudança, temos que acreditar em nós mesmos, e em algo maior que os nossos desejos.

Só quem já passou por dificuldades no casamento ou no namoro que vai entender a importância em querer acreditar que vai dá certo. Que é aquela pessoa que vai estar ao seu lado para o que der vier. Nas horas felizes e nas tristes também. E a lição que esse livro passa é para não desistir tão fácil, lutar, pois vai valer a pena.

Ele é um pouco cansativo por ser grosso, mas a leitura vale a pena. Acho que vale a pena o casal ler.

O me emocionei muito mais vendo o filme, pois tudo ali na tela… ver o sofrimento, ver as emoções é bem mais forte que imaginá-las. Minha mãe me deu este filme quando eu estava me separando do meu primeiro marido, e naquela situação não resolveu muito, mas agora com o meu esposo a situação é diferente eu quero estar com ele, então eu vou lutar por isso, e no filme/livro mostra bem isso, Caleb teve que decidi que realmente queria estar com Catharine, pois se não seria trabalho jogado fora.

Indico tanto o filme quanto o livro para os casais, mas principalmente para os que tem fé.

Beijos.